18 julho 2013

Eu deixei de ser sua

Hoje eu escutei nossa música. Sem me preparar, sem pegar lenço, sem retorcer as mãos e apertar os olhos. Simples ouvi, a cantei na cabeça e coloquei para tocá-la novamente. Meu coração não disparou, meu olhos não se inundaram de lágrimas e minha cabeça não se descontrolou de saudades. Eu finalmente havia superado. Eu te superei, meu amor. E estou achando isso incrível. É uma música tão bela, uma letra aconchegante, apaixonante, encantadora. Não sei como pude ficar tanto tempo sem ouvi-lá. Você estragou minha melhor música. E agora, por fim, consegui trazê-la de volta para mim, como uma música que acabara de lançar, como se fosse um novo sucesso do meu cantor favorito. Ela refresca minha mente e faz meu coração se encher de amor. Sim, amor. Não que eu esteja apaixonada, não que eu esteja procurando por alguém. Mas eu tenho amor em mim. Tenho amor por mim. Tenho amor pelo mundo, pelos meus livros, pela minha música, pelo ar que respiro, pelas árvores que dançam com o vento, pelas estrelas que brilham como se fosse natal. Eu sei o que é amor, e agora o recuperei para mim. Também tenho uma pequena novidade. Você nem deve ter percebido, mas resgatei meu coração. Ele está inteirinho, novinho em folha, como se eu fosse uma adolescente qualquer que nunca se apaixonara. Ele tem sua parte de lembranças, mas são todas muitas boas. Você me proporcionou maioria delas e não tenho porque colocar-lhe com mil defeitos. Nosso tempo foi bom, mas o fim chegou. Passei dias me debulhando em lágrimas, com músicas suicidas, com livros apaixonantes que só me faziam piorar. Pensei que nunca superaria, mas eu consegui. Eu posso dizer que venci essa luta, ultrapassei esse obstáculo. Eu finalmente estou de pé, nova em folha. Não sei como você está, faz tempo que não tenho notícias. Acabei me afastando de ti, fugi de todos os lugares que frequentara, te exclui de todas as redes sociais, coloquei minhas fotos em privado e me exclui do mundo, para fingir que você não pertencia ao mesmo mundo que o meu. Mas esse tempo passou, e até que passou rápido, comparado á dor e todo ao drama que recitei em alguns textos que hoje, por fim, os queimei. Eu estou aqui. Andando pela rua. Não digo que deslumbrante para parar o trânsito, nunca fui disso. Atraio poucos olhares e nem me interessa muito o pensamento de alheios. Estou andando livremente. Como se eu tivesse saído de uma prisão, como se eu estivesse saindo de casa pela primeira vez após completar 18 anos. É prazeroso superar assim. E por incrível que pareça, eu te vi, lá do outro lado da rua. Você me viu, eu sei. Não tive interesse em me aproximar ou falar com você, não faz minha cara fazer tudo para mostrar-te meu bem-estar. Eu sorri. Abanei a mão. E continuei. Era isso o que eu devia ter feito desde sempre. Eu devia ter continuado. Mas só agora fui realmente entender que eu não preciso de ninguém para seguir, só preciso de mim. Antes tarde do que nunca, certo? Eu aprendi. Obrigada, querido. Você me ensinou mais uma coisa, entre tantas. Não quero que você sofra, espero que nunca passe por isso. Você é maravilhoso, tirando o fato que não sabe dar valor. Mas isso o tempo resolve, você se resolve, a vida resolve. Não me interesso pelos seus assuntos e pelo que te envolve. Você não vai conseguir me provocar com indiretas, mensagens anônimas ou passando com a nova namorada ao meu lado. Eu sou maior que isso. Eu cresci. Eu te superei. E também superei minhas expectativas. Sou mais forte do que eu pensava e tenho orgulho de escrever isso nesse texto, nesse desabafo, nesse rascunho. Aquele amor que eu sentia, não mais te pertence. Ele é meu, todo meu. E eu estou adorando essa nova vida. As boas lembranças não mais são revividas em minha cabeça, e nem uma parte da cidade me lembra você. O tempo passa, os ares mudam, até as folhas mudam… Você pensou que eu não mudaria? Eu mudei, meu amor (não mais amor…). O nosso tempo acabou, minha vida mudou. Eu deixei de ser sua, eu deixei de ser mais você. Agora eu sou mais eu.


                                                                          Isadora Moreira

4 comentários:

  1. Adorei o texto :) Tem um selinho pra vc lá no blog <3
    Beijos :-*

    http://bel-somostaojovens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Escusado será dizer que está perfeito

    ResponderExcluir
  3. Eu amei o texto!
    http://sobre-tudoum-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi! Faz um favor? Escreve um livro! Sério!! Você é ótima e se dá super bem com as palavras! :)
    Amei o texto! Mais uma vez!! <3

    Beijos!
    Batom de Framboesa

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...